Mais de 4,2 mil vagas criadas no Ceará, em maio
01/07/2021

Em maio, o Ceará foi responsável pela criação de 4.284 postos de trabalho, de acordo com os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério da Economia, divulgados hoje (1/7). Os dados são provenientes da relação entre o número de contratações com carteira assinada (31.597), que superou o de demissões (27.313).

O nível do emprego formal teve oscilação (0,36%) e atingiu o total de 1.199.337 empregos com carteira assinada, no Ceará. Em termos setoriais, o saldo decorreu, principalmente, da geração de postos de trabalho nos serviços (3.312 novos empregos), seguido pelo comércio (1.009), construção civil (739) e agropecuária (86). Nesse contexto, o resultado foi atenuado pela baixa do emprego na indústria (-862).

“Esse é mais um resultado positivo que reflete os esforços que o Governo do Ceará vem fazendo e dos empreendedores de todos os portes, no sentido de preservar os empregos e contribuir para a retomada do crescimento  econômico do Estado”, afirmou o secretário executivo do Trabalho e Empreendedorismo da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedet), Kennedy Vasconcelos.

“Registrando saldos positivos em dez dos últimos onze meses, o Ceará segue uma curva ascendente na criação de novos postos de trabalho formal, demonstrando que estamos encontrando o caminho para vencer as adversidades econômicas impostas pela pandemia. Com o avanço da vacinação e a diminuição dos níveis de contágio, avançaremos na flexibilização, com boas perspectivas para o segundo semestre deste ano”, analisa o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Vladyson Viana.

No acumulado do ano, o saldo entre contratações e dispensas no mercado de trabalho cearense ficou positivo em 23.945 empregos, resultado este bem diferente ao que fora registrado no mesmo período do ano passado (extinção de 45.303 empregos com carteira assinada).

Considerando os municípios cearenses, a geração de empregos continua sendo ainda muito concentrada na Capital, Fortaleza (2.491 empregos ou 58,1% do total), seguida de Juazeiro do Norte (517 ou 12,1%), Eusébio (255 ou 6,0%) e Horizonte (202 ou 4,7%).