Inclusão no trabalho IDT e SAP firmam parcerias para a ressocialização de egressos do sistema penal
27/08/2020

Focado em ampliar suas ações de inclusão social pelo trabalho, o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT/SINE) vem buscando estabelecer parcerias com o governo do estado e empresas. A ideia é criar um fluxo de trabalho no âmbito da coordenação de Intermediação de Mão de Obra (IMO) que possibilite o encaminhamento de egressos do sistema prisional a oportunidades de emprego.

Pra isso, o órgão já conta com algumas ações em fase avançada de negociação, como a reunião na Coordenadoria de Inclusão Social do Preso e Egresso (CISPE), da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), no último dia 4 de agosto, com a coordenadora Cristiane Gadelha. Com esse mesmo propósito, o IDT/SINE promoveu um encontro na manhã desta quarta-feira (26), em Limoeiro do Norte, onde reuniu empreendimentos da região para tratar sobre a inserção social de egressos, além de orientar sobre o processo de digitalização dos serviços Seguro Desemprego e CTPS digital.

Para o coordenador da IMO, Rubens Rodrigues, o trabalho como os egressos do sistema penal é uma iniciativa de ressocialização que ultrapassa os muros da intermediação convencional de trabalhadores pelo sistema público de emprego, ampliando o valor social e humano do trabalho.

De acordo com o IDT, a expansão da IMO para contemplar ex-detentos terá vinculação com o sistema de cotas criado pelo Governo do Estado em 2015 através da Lei nº 15.854, que determinou que de 2% a 7% das vagas de cada obra pública e serviços terceirizados sejam destinadas aos presos que respondem em regime semiaberto, aberto, ou em livramento condicional.

“A Secretaria de Administração Penitenciária dá mais um passo com essa parceria do IDT, no sentido de captar vagas no mercado de trabalho. A ideia é que as pessoas sejam encaminhadas com os perfis que foram qualificados para as vagas previstas em contratos públicos com o Governo no Estado, tanto contrato de obras públicas como contratos de terceirização de mão de obra. É um passo importantíssimo que a gente fecha no ciclo da inclusão social, com a qualificação profissional no interior do presídio e com o trabalho na saída para a liberdade”, ressalta a coordenadora da CISPE, Cristiane Gadelha.

Após a conclusão da parceria com a CISPE/SAP, o IDT/SINE iniciará os trabalhos de cadastramento e a criação de um banco de dados específico desse público, para o encaminhamento às vagas disponibilizadas pelas empresas, conforme as cotas previstas na lei estadual.