IDT tem expectativa de ampliação dos empregos no segundo semestre de 2021
30/06/2021

Considerando o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, que alcançou a marca de 1,14% no primeiro trimestre; dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que acumulam mais de 20 mil postos de trabalho, em 2021; e com o avanço da flexibilização da economia, a tendência é que mais oportunidades de trabalho possam ser geradas, em diversos setores, especialmente nos serviços e comércio.  

Além desses diversos fatores, soma-se o fato de que, historicamente, o segundo semestre sempre registra uma maior captação de vagas no estado do Ceará. 

Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Vladyson Viana, o comportamento de 2021 está permitindo um otimismo para o segundo semestre. “Nesse ano, mesmo com o lockdown no primeiro semestre, até 18 de junho, o número de vagas ofertadas pelo IDT/SINE foi de 27.850, bem próximo ao realizado, durante os seis primeiros meses do ano de 2019 (29.528), período anterior à pandemia”, analisa o gestor.

Para ele, com o aumento da imunização da população e a queda na curva de contágio, haverá uma garantia da retomada total das atividades econômicas e os empreendedores terão mais segurança para contratar novos trabalhadores. 

Dessa forma, é preciso que os interessados em encontrar uma oportunidade, seja para o primeiro emprego ou uma reinserção profissional, estejam atentos. Isto porque, apesar de algumas empresas iniciarem seus processos seletivos ainda em agosto, o maior volume de contratação ocorre nos meses de setembro, outubro e novembro, também com oportunidades temporárias.

O candidato precisa observar a sua postura no momento da entrevista de emprego e, principalmente, considerar que as empresas buscam pessoas engajadas à cultura das organizações, um profissional dinâmico e que realize múltiplas tarefas. 

Além disso, o candidato precisa buscar constantemente sua atualização profissional, sempre sintonizado as novas tendências do mercado. “Presenciamos o avanço na utilização de tecnologias e novas plataformas digitais, que foram certamente um upgrade nas organizações, durante a pandemia do coronavirus”, complementa o coordenador da Intermediação de Profissionais do IDT, Rubens Rodrigues.